12/12/16

"A DIETA DA FILIPA" - ROUND 01


Pois é gente boa, o prometido é devido por isso vamos lá arrancar com a preparação para o desafioz1q (o meu filho acabou de mandar uma mãozada no teclado e achou que "desafio" fica muito melhor assim, quem sou eu para questionar) de ano novo que vos lancei no post "I'M BACK...". O Natal está aí à porta e já sabemos a espécie de armagedão apocalíptico frito e enrabazado em açúcar que a quadra representa para a dieta. Toca a sacar da pá metafórica que está na hora de começar a cavar trincheiras e preparar o contra-ataque...

Ora bem, antes demais eu não considero que isto seja uma dieta, a palavra correcta será regime. Já falei nisto noutros posts, a palavra dieta tem uma má reputação. Uma dieta representa aquilo que comemos no nosso dia a dia, aquilo que é a nosso normalidade, a Paleo, por exemplo, é uma dieta.
Um regime é algo que fazemos durante um espaço de tempo determinado com um objectivo especifico e que não sendo a normalidade, é geralmente BEM MENOS agradável... depois não se venham queixar de falta de aviso!

Mas vamos lá. Eu apelidei o regime como "a dieta da Filipa" por uma questão de simplicidade, porque a Filipa, embora seja uma moçoila brilhante (eu acho que ela nunca lê os meus posts, mas nunca fiando), não inventou nada disto, limitou-se a juntar uma série de princípios e fazer um cocktail explosivo com elas. Ela baseou-se em três princípios base, vamos analisa-los do menos ao mais importante para o sucesso desta empreitada:

A Dieta Cetogénica: Este palavrão já conheciam por alto de alguns dos meus posts e eu cheguei a pô-la em pratica algumas vezes. Consiste em reduzir drasticamente os hidratos de carbono, maus e bons, ao ponto de não comer fruta nem tubérculos (nope, nem batata doce) e limitar inclusive alguns vegetais mais ricos neles. Basicamente os acompanhamentos são quase sempre saladas (em grande quantidade) e a uma das refeições alguns vegetais. O combustível principal? Adivinharam, gorduras boas e proteínas. A teoria é que o nosso organismo passa a usar corpos cetónicos como energia em vez dos hidratos, o que de um modo muito simplista significa obrigar o nosso corpo a atacar mais rapidamente a nossa reserva de gordura em vez da energia consumida no imediato. Há quem faça esta dieta no dia a dia (costuma ser recomendada por nutricionistas funcionais a pacientes com doenças mais complicadas, já que supostamente reduz drasticamente a inflamação), mas como vocês sabem, eu não gosto de exageros, por isso, salvo em casos seguidos por profissionais, não costumo recomendar por períodos superiores a 2 ou 3 semanas.

O Jejum Intermitente: Outra prática comum na comunidade Paleo, devo confessar que demorei imeeeenso tempo sequer a experimentar isto. A razão principal é que costumo acordar (ou costumava, vá) com a fome de um animal de quinta sonâmbulo que passou a noite a arar 4 hectares de terra numa crise de sonambulismo! Querem convencer-me que fico bem bem sem comer até ao almoço??? Pois... parece que afinal consigo!
De inicio custa um pouco a criar o hábito, mas hoje em dia, 80% das vezes o meu pequeno-almoço é uma chávena de café simples! Há quem beba um turbinado, mas dizem as autoridades na matéria que isso é batota, já que os níveis de gordura desse cavalheiro são quase equivalentes a uma pequena refeição, o que acaba por não combinar com a palavra jejum ;)
A teoria é que esta prática faz um reboot diário ao organismo, uma espécie de limpeza, mas em boa verdade parece-me que o "truque" do jejum intermitente é mais básico. O importante aqui é que ao almoço (neste caso a primeira refeição do dia, que neste esquema passou a ser mais cedo para mim, entre as 12:30 e as 13:00) não se coma A DOBRAR, o que nos leva ao ponto seguinte, simultaneamente o mais importante e mais polémico para mim...

A Restrição Calórica: Pois é, depois de anos a dizer-vos para não contarem calorias (como podem ver AQUI), heis senão quando cá estamos a falar precisamente nisso!!! ATENÇÃO, continuo a manter que não é necessário fazê-lo e que com a Paleo regular e alguma paciência podemos atingir óptimos resultados e de um modo mais natural, mas não é de isso que estamos aqui a falar hoje. Hoje falamos de um regime de acção rápida que embora seja sustentado em alimentos naturais, pouco tem de natural.
Ora bem, do que é que estamos aqui a falar? Da boa velha teoria das calorias que entram versus calorias que saem claro está. E como é que conseguimos controlar isso? Do modo menos natural possível, uma balança de alimentos e uma uma aplicação para o telemóvel, o Fatsecret. Eu próprio ainda não experimentei a dieta, mas diz-me a Filipa que não é assim tão mau, já que ao fim da primeira semana já não precisamos da balança porque facilmente calculamos "a olho"!
A teoria aqui é simples! Calcular a quantidade de calorias diárias que necessitamos para a nossa idade, peso, altura e sexo (vou explicar tudo isto num próximo post), perceber quanto peso queremos perder e garantir que não ultrapassamos esse valor. Esta parece bem difícil não é? Pois... é um bocado :-/

Chegamos então há altura, em que depois de vos aumentar drasticamente os níveis de ansiedade, vou canalizar a Filipa e descansar-vos com o que ela me disse em relação aos pontos que me pareceram a mim mais complicados (digamos que a ela os apelidei de impossíveis, ao que ela respondeu "não sejas parvo" e acabaram por ficar só complicados):

- É certo que vamos estar em restrição calórica, mas ela garante-me que se os cálculos estiverem bem feitos e estivermos a comer gordura boa suficiente só vamos sentir alguma fome numa fase inicial;

- O cardápio, embora mais limitado, continua a ser Paleo, o que significa que comer vai continuar a ser um prazer, com refogados e especiarias suficientes e não aquela sandes de cartão prensado polvilhada com fome de cão típica das dietas dos anos 90;

- Isto é um regime tem-po-rá-rio! Só temos "sobreviver" a 2 ou 3 semanas dele e depois, se quisermos perder mais, fazemos períodos de uma semana de Paleo regular e repete-se o esquema. Senão entramos em "manutenção" e é Paleo regular daí para frente... HAPPY DAYS :D

Ufa, acho que por hoje é tudo! Não percam os próximos posts, em que vamos falar do "equipamento necessário" (a balança, como funcionar com a aplicação, etc.), a "preparação" para o desafio (que cuidados a ter e como nos preparamos física e psicologicamente, hehehe) e contamos ter também um plano de acção, acompanhado de um cardápio simples (que será mais ou menos o que faremos para nós) que possam copiar ou adaptar à vossa medida, continuem atentos ;)


8 comentários:

MarisaBorges disse...

Muito atenta...

Claudia disse...

estou colada e a precisar tanto. obrigada

D disse...

Super atenta!!
A contar com a vossa ajudar! Obrigado pela partilha :) VocÊs são os maiores :)

Josefina disse...

Estou à espera desse " milagre 😁"

Cláudia Bonito disse...

Fico à espera do próximo !! Já comecei o dia a rir com o teu post!! Muito bom!!

Patrícia disse...

Estamos juntos :)

Nokas disse...

E começa a mentalização :) Bora lá!

Antonio Duarte disse...

Ansioso por começar, pois estive perdido uns tempos e a vontade de comer ultrapassou o limite razoável. Parabéns pelo vosso Blog, que sigo atentamente há pelo menos um ano. Vamos nessa.

PUBLICIDADE EXTERNA

Os anúncios em baixo são de publicidade externa e da inteira responsabilidade da Google AdSense, sem qualquer patrocínio do Sem Aditivos.